quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Oficina Intensiva de Clown. Descubra o seu palhaço!



Não há uma fórmula para ser palhaço. Cada um tem sua maneira única de se relacionar com o mundo através da fantasia.

A oficina “Descubra seu palhaço”, ministrada por Gabriel Rodriguez (Palhaço Fino), é uma introdução a linguagem poética do clown através de jogos, exercícios e improvisações. A oficina tem como objetivo fazer com que cada aluno encontre, revele e desenvolva o clown existente dentro de si, além de auxiliar na criação de cenas curtas e entradas em duplas ou individuais.

A oficina terá 5 dias de duração e custará R$ 70,00.
De 05 à 09 de Dezembro
De 18h às 21h
Espaço Cultural Gira Dança
Rua Frei Miguelinho, 100 - Ribeira


Mais informações:
tropatrupe@gmail.com
(84) 8825-2312
 

Fonte:  www.tropatrupe.blogspot.com

Gira Dança nos 11 anos da Michelle Tour

No último dia 11 de novembro a Cia Gira Dança esteve presente fazendo uma Intervenção Coreográfica na sede de um de seus parceiros, a empresa de turismo Michelle Tour. O evento comemorou o aniversário de 11 anos da empresa  que recebeu como maior presente a inauguração da sua nova sede totalmente modernizada e adaptada  para receber seus clientes da maneira mais confortável  possível.  A festa  contou com a presença de várias personalidades da sociedade Potiguar e a Cia Gira Dança se sentiu muito honrada em participar dessa grande celebração.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Um Dia para se Lembrar!



Um dia para ficar com gostinho de saudade! Wagner Carvalho, Liane Gesteira, Silvia Góes e os integrantes da Companhia Gira Dança na expectativa de mais uma edição do Palco Gira Dança.
Um dia de muitas emoções e recordações!
Quem veio sentiu a força da dança passar por aqui.
Agradecemos o carinho de todos que compareceram e aos artistas que nos emocionaram com seus trabalhos, Sandro Souza Silva, Grupo NKYINKYIM, Rodrigo Silbat, Liana Gesteira, Silvia Góes, Wagner Carvalho, Rodrigo Sena e toda equipe da companhia Gira Dança.


Que venha 2012!!

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Palco Gira Dança - Edição de Novembro


Depois de duas edições de grande sucesso trazendo para Natal nomes reconhecidos internacionalmente como Edu O  e  Lucas Valentim /Salvador(BA), além  de exposições fotográficas, debates e  vários espetáculos de dança e teatro  das companhias de todo nosso estado,  o Palco Gira Dança encerra a sua  terceira e ultima etapa  em  2011, nos dias 05 e 06 de Novembro  com várias atrações: Sílvia Góes e Liana Gesteira do Coletivo Lugar Comum, Recife(PE), que irão apresentar  as performances “Topografias do Feminino e  ossevao” e ministrar a oficina Improvisação - Corpo e Poesia.  Também irá acontecer nesta edição a pré-estréia do espetáculo Quer Tc?  Do bailarino Potiguar Rodrigo Silbat e ainda o grupo NKYINKYIM(BA/RN),  +Uma Cia de Dança(RN),  Dançando as Avessas Sandro Souza e Silva(RN),  Companhia Gira Dança(RN) e uma Exposição Fotográfica de Rodrigo Sena autor do documentário “A Cura” selecionado para Festival de Cinema Curta Amazônia 2011. O grande momento desta edição será o lançamento do filme “Brasil Move Berlim 2011” e um diálogo com um dos idealizadores - Wagner Carvalho. O filme fala como foi o 5° Festival Brasil Move Berlin de  Dança Contemporânea que aconteceu em Abril deste ano na capital Alemã onde a Cia Gira Dança esteve presente apresentando dois espetáculo “A Cura”  e “Corpo Estranho”.

Programação Palco Gira Dança
Dia 05 | Sábado

15h - Oficina  "Improvisação - Corpo e Poesia" com Sílvia Góes e Liana Gesteira
Coletivo Lugar Comum(PE)
Vagas limitadas / Valor: 20 reais / Reserva: 3344.4109
20h - Quer Tc? (Pré-Estréia) com o bailarino Rodrigo Silbat(RN)
Vagas limitadas (Entrada Gratuita)
Reserva: 3344.4109

 Dia 06 | Domingo
16h - Abertura da Exposição Fotográfica de Rodrigo Sena
16h30 - Lançamento do filme “Brasil Move Berlim 2011”
e Diálogo com um dos idealizadores  /  Wagner Carvalho
19h - Entre Elas e Só por Encomenda / Companhia Gira Dança(RN)
19h30 - Topografias do Feminino e OSSevaO  / Coletivo Lugar Comum(PE)
20h30 - ...do Orum ao Aiyê  / Grupo  NKYINKYIM(BA/RN)
20h50 - “Eu uma vezes eu, em outras Clarices” / +Uma Cia de Dança(RN)

21h - Dançando as Avessas Sandro Souza e Silva(RN)
 

ENTRADA GRATUITA


Serviços
Local: Espaço Cultural Gira Dança
End: Rua Frei Miguelinho, 100, Ribeira.
Inf. e reservas: 33444109
E-mail:  giracomunica@gmail.com / produção.giradanca@gmail.com


quinta-feira, 20 de outubro de 2011

oficina "Improvisação - Corpo e Poesia"

 Sábado, 05 de Novembro ás 15h dentro do projeto Palco Gira Dança acontece a oficina "Improvisação - Corpo e Poesia" com Sílvia Góes e Liana Gesteira do Coletivo Lugar Comum, Recife(PE).
Vagas limitadas / Valor: 20 reais / Reserva: 3344.4109
Inscrições no Espaço Gira Dança das 14h às 18h.
local / Espaço Gira Dança / Rua Frei Miguelinho, 100, Ribeira.



 Dançar pode ser também como escrever um poema, busca de palavras, silêncios, passagens, esperas, movimentos e gestos, caça de imagens antigas redescobertas por dentro, lida no espaço, seja métrica restrita ou verso livre, pelo segredo de um ritmo próprio. A presente oficina tem como objetivo potencializar o uso do corpo como elemento para criação artística, promovendo exercícios de improvisação em diálogo com a poesia.  Escrever poeticamente o corpo dançante; ouvir e ecoar a voz que nasce do movimento experimentado no desejo de reconhecer num ser inteiro todos os sentidos, mente, corpo e espírito. Dilatar o tempo e o espaço experimentados pela matéria na palavra-memória-devir. Como construir para si um corpo-metáfora sendo desnudado poeticamente? Para isso, as ministrantes irão propor atividades de sensibilização e percepção corporal, deixando-o aberto para novos estímulos criativos e promover jogos de escrita e leitura poética usando o corpo como suporte. Para aproximar a relação entre corpo e poesia as ministrantes e os alunos vão discutir e exercitar como trabalhar metaforicamente o corpo e seus movimentos, como carregar esse corpo de analogias, imagens e significados, de acordo com a escrita nascida de cada um.

Objetivos
- Desenvolver exercícios de sensibilização da percepção visual, auditiva e tátil;
- Estimular a criação dos movimentos a partir de exercícios de improvisação;
- Trabalhar com composição do movimento e composição de poesia;
- Exercitar a escrita poética no corpo, a partir de metáforas, analogias e imagens;
- Realizar jogos de improvisação entre movimento, som e voz.

 Carga Horária
- Carga Horária = 3 horas
- Duração = 1 dia (3h por dia)

Público alvo: dançarinos, atores, performers, escritores, estudantes de arte, professores, arte-educadores, e demais artistas interessados.



Ministrantes: Liana Gesteira e Silvia Góes / Recife - PE

 Currículo Resumido – Professora Liana Gesteira


Artista integrante do Coletivo Lugar Comum e da Cia. Etc. É especialista em Dança pela Faculdade Angel Vianna/Compassos (2011) e bacharel em Comunicação Social pela Universidade Católica de Pernambuco (2003). É ainda coordenadora e pesquisadora do Acervo RecorDança.

 Iniciou seus estudos em dança pela técnica de balé clássico, a partir de 1990. Profissionalmente integrou o elenco do Grupo Experimental (1999/2001) e do Grupo Grial (2003/2005) desenvolvendo sua formação na área de dança contemporânea e com experiências em cultura popular. Entre 2005 e 2008 residiu em Brasília, desenvolvendo sua formação na área de dança contemporânea a partir de aulas com Luciana Lara (ASQ Companhia de Dança) e de Contato e Improvisação, com Giovani Aguiar (DF). Atua como bailarina na Cia. Etc, (PE) compondo o elenco dos espetáculos Corpo Massa Pele e Ossos; Silêncio; e Rox, Xox, Fox..., bem como das videodanças da companhia. Participou da montagem do espetáculo “Leve”, do Coletivo Lugar Comum e criou o solo Topografias do Feminino em 2011. Como professora ministrou aulas de dança contemporânea e de Contato e Improvisação no Espaço Experimental (2000/2001); Espaço Grial (2003 e 2004); no festival Novembro da Dança, na Paraíba (2009); no festival Na Onda da Dança (2010); no SESC de Piedade (2011) e no Coletivo Lugar Comum (2011).

 Currículo Resumido – Silvia Góes


Artista integrante do Coletivo Lugar Comum. É especialista em Dança pela Faculdade Angel Vianna/Compassos (2011) e bacharel em Comunicação Social pela Universidade Católica de Pernambuco (1997). Sob o pseudônimo Aivlis Sego, assina desde 2007 o blog de poesias “Barro Cru”. Seu poema “O Pão de Íris” foi adaptado ao teatro e apresentado e premiado na Arena Teatral, no SESC Piedade, em 2008. É uma das autoras da peça “Divinas” (2011), atualmente em cartaz no Recife e selecionada para o Festival Internacional de Circo.

 Iniciou seus passos na dança pelo balé clássico e jazz, ainda na infância. Depois de um longo período de afastamento voltou a estudar no Espaço Experimental, no Recife, com aulas de dança contemporânea. Desde então, vem desenvolvendo pesquisas em diversas linguagens, também com experiências em cultura popular. Esteve na Argentina, onde estudou Dançaterapia com Maria Fux em Buenos Aires (2007). Em 2008 integrou o grupo brasileiro de artistas convidados para o Festival Folclores do Mundo, da Unesco, percorrendo várias cidades do interior da França. Com Maria-Gabriele Wosien concluiu em São Paulo o Curso de Introdução à Dança do Giro dos Dervixes Mevleves. Participou na capital pernambucana, como dançarina, do espetáculo Corpometria, do Espaço Experimental, no final de 2007 e do espetáculo Em Comum (2008). Em 2009 passou dois meses na Índia, imersa em estudos intensivos de dança Odissi com a dançarina indiana Kanchana. Em 2011 criou o solo OSSevaO.


Gira Dança
www.giradanca.com.br

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

03: Mostra Gira Dança


Nos dias 14 e 15 de Outubro às 20h na Casa da Ribeira, acontece a 3° Mostra Gira Dança. No primeiro dia da mostra a companhia Gira Dança apresenta coreografias de seu repertório e experimentos inéditos, promovendo a continuidade de suas pesquisas levando ao público a troca de idéias para o seu novo espetáculo, abrindo o segundo dia a Art´facto Companhia de Dança da cidade de Pendências/RN apresenta o espetáculo “O Sertão Sou Eu”.Ingressos: R$ 20,00 inteira e R$ 10 meia. Informações pelo telefone: 3211.7710 (Faça sua reserva!)


quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Conexão Dança Natal


No dia 03 de setembro de 2011 foi aberto oficialmente o projeto Palco Gira Dança, e como início da programação cultural foi realizado o Conexão Dança Natal – Encontro dos Diretores de Grupos e Companhias de Dança de Natal, onde tivemos a presença dos seguintes representantes, Anízia Marques e Maurício Motta da Sílabas Cia de Dança, João Alexandre da Mobilidade Cia de Dança, Francisco Júnior e Edeilson Matias da Domínio Cia de Dança; Maésia Mendes do Balé Municipal de Natal; Ana Cláudia Vianna e Daniel Torres da Nammu Cia de Dança; Álvaro Dantas, Anderson Leão, Roberto Morais e Danm Silva da Companhia Gira Dança.


Anderson Leão diretor artístico da companhia Gira Dança abriu o debate explicando os objetivos do encontro e falando das impressões que se tem enquanto representante de entidade artística e do cenário da dança nos últimos anos e principalmente na produção da dança durante o ano de 2011. 
Vejam alguns dos pontos que foram propostas e discutidos diante dos diretores:
       - Reflexão: “Como se é visto a dança na cidade do Natal?”;
- Procurar estratégias de como  “popularizar” a dança na cidade e estado, afim de fomentar público,
atingir áreas não contempladas;
- Reivindicar os editais, para que, sejam julgados por pessoas da área;
Trabalhar em projetos dentro de uma coletividade de grupos;Fazer parceria com a IFRN na área de
produção cultural, para poder explicar como funciona a produção de dança, mstrando sua
realidade e especificidades.
-  Ampliar os espaços culturais em bairros, desenvolver ações em galpões espalhados na cidade com
espetáculos, oficinas...
 Promover reuniões pequenas e informais, por grupos que estejam mais próximos, acredita que pode
funcionar.
- Pensar em trabalhos que atinjam todos os públicos, não só destinado a apenas uma classe.


                Ações para os próximos encontros:
              -      Reunião com alunos do IFRN (data à definir)
       -  Reunião com representantes dos órgãos públicos

Outubro tem Palco Gira Dança!


Assistam o vídeo com a programação de outubro do Palco Gira Dança!

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Programação e todas as informações do Palco Gira Dança, edição de Outubro

Projeto Palco Gira Dança

Criado com a proposta de trazer para a cidade um diferencial na propagação da dança e seus meios, o projeto “Palco Gira Dança” tem como objetivo oferecer a comunidade local uma programação de dança e
outras linguagens cênicas com apresentações da Companhia e grupos convidados, oficinas, discussões e
palestras que incentivarão a prática artística da dança e ainda visarão fortalecer as relações interpessoais entre
os participantes, abordando dentro de uma metodologia desenvolvida em conjunto com essas atividades,
temas como a Diversidade do Corpo na Dança.

O projeto Palco Gira Dança terá duração de três meses sendo executado mensalmente levando-se em
conta toda logística empregada para sua realização, por consequência, dando continuidade ao Circuito
Cultural Ribeira, trazendo à esse bairro histórico uma alternativa de programação gratuita que fomente a arte,
dando ênfase a seu potencial na propagação cultural na cidade do Natal.

Programação de Outubro

Sábado 01/10 | Oficina


16h-Encontros na mesa de chá - Compartilhamento dos procedimentos criativos da obra:
Meus Mortos com Edu.O e Lucas Valentim (Salvador/BA)
Inscrições 33444109
Vagas Limitadas- Artistas e demais interessados
Valor: R$ 20,00

Domingo 02/10
16h-Abertura Loja Mundo Gira
16h30- Vídeo Documentário Figuras da Dança com Carlos Moraes
17h-Grupo de Pesquisa da UFRN- “Ouidah”
17h30- Companhia Gira Dança
18h-Odete Traga Meus Mortos - Edu.O e Lucas Valentim(BA)

Local: Espaço Cultural Gira Dança
Rua Frei Miguelinho, 100 . Ribeira . Natal/RN . Cep 59012-180 . Fone: 84 3344.4109
www.giradanca.com.br | e-mail: contato@giradanca.com.br

Release dos espetáculos do Palco Gira Dança- Outubro

Grupo de Pesquisa da UFRN- "OUIDAH"
Ouidah é o resultado artístico de um processo de criação coletiva. Teve como ponto de partida a pesquisa de
campo sobre a capoeira. Utilizando o “jogo” como procedimento metodológico, dados colhidos nas pesquisas
prática e teórica foram trabalhados em laboratórios de dança, desenvolvidos em exercícios de improvisação e
finalizados em composição coreográfica com enfoque no universo das tradições afro-brasileiras.

-Ficha Técnica
Direção: Profa. Dra. Lara Rodrigues Machado.
Elenco: Hikel Brauwn Ribeiro de Morais e Sílvia Rodrigues.
Pesquisa Musical : Grupo de Intérpretes.
Mixagem da trilha sonora: Sílvia Rodrigues.
Montagem de Luz: Hilca Honorato.
Operador de Luz: Hilca Honorato.
Cenário e Figurino: Grupo de Intérpretes.
Equipe de Apoio: Sara Andrade.

Edu.O e Lucas Valentim(Salvador/BA)-“Odete, traga meus mortos” Assim como nos passaportes, nossos corpos retornam de uma viagem carimbados de experiências que se mantêm e
determinam nossos olhares, sensações, percepções, a partir do acesso a territórios desconhecidos, principalmente aos
territórios internos que nos ressignificam.

O espetáculo Odete traga meus mortos é inspirado numa situação vivida por Edu O., numa viagem a França,
onde num almoço em casa de uma família tradicional, na hora do café, depois de todo ritual da refeição francesa, a
matriarca pede a empregada: “Odete, traga meus mortos!”. Incrédulo, com expressão, Edu foi informado que este
pedido tornou-se habitual daquela senhora que lê diariamente a parte de óbitos do jornal enquanto toma seu cafezinho.
Sua preocupação é saber se algum conhecido faleceu e observar a forma como foi escrito o obituário, sempre
discordando e dizendo que não quer o seu daquele jeito. Então começa a descrever como gostaria que divulgassem sua
morte, a foto que deve ser colocada, a roupa e como as pessoas devem agir no seu funeral.

Um fato aparentemente triste torna-se o momento mais engraçado do dia da família que passa a lembrar de
histórias da vida e de pessoas que passaram por ali. A morte perde a carga de sofrimento, cedendo espaço para
lembranças de vidas cheias de experiências, como são todas e cada uma das vidas humanas. Para aquela senhora, o
falecimento do outro possibilita a reflexão sobre sua própria existência, mesmo que este outro seja um desconhecido e
que sua história não tenha relação direta com a dela.

A partir desse fato, foi idealizado o projeto, parceria entre os coreógrafos/dançarinos Edu O. e Lucas Valentim.
O espetáculo foi construído em um processo colaborativo também na música, figurino, cenário e iluminação, refletindo
sobre os ritos de passagem, o partir, a ausência e a presença. O lugar do outro em nossas vidas, nossos mortos (pessoas
e situações passadas) marcando nossos corpos, sendo-nos. Tudo reverberando em nós até mesmo quando a memória não
esta sendo atualizada. A morte em Odete, traga meus mortos representa, portanto, as ausências de pessoas, lugares,
situações, objetos.

O espetáculo foi vencedor do Prêmio Festival Vivadança 2010. Ainda neste ano foi convidado a participar do 1º
Encontro de Dança Inclusiva. O que é isso?, Curta Dança as 6 no Pelô, selecionado para a Plataforma Internacional de
Dança. Em 2011 foi apresentado no Theatro XVIII, na programação do Repertório VAGAPARA e convidado a
participar do projeto Palco Gira Dança em Natal.

-Ficha Técnica
Intérpretes/Criadores: Edu O. e Lucas Valentim
Direção musical: SomdoRoque
Iluminação: Márcio Nonato
Produção e Figurino: Nei Lima

OFICINA
Sábado (01/10/11)
“Encontros na mesa de chá
Bate papo e oficina de criação
Compartilhamento dos procedimentos criativos da obra: Odete traga meus mortos.”
Carga horária: 4h

Ministrantes: Edu O. e Lucas Valentim
Participantes: Artistas e demais interessados (turma de 20 pessoas)

Ementa
O compartilhamento será distribuído em dois momentos. No primeiro serão abordadas questões que permeiam a
obra, como: relação entre texto e movimento numa composição de dança, construção de metáforas que poetizam o
discurso na cena, entre outros. Essa abordagem objetiva identificar, a partir das questões apresentadas, interesses em
comum com a turma, para que juntos determinem princípios de observação que nortearão a segunda etapa. Neste
segundo momento serão experienciados alguns procedimentos adotados pelos ministrantes no decorrer de suas criações.

Método
A oficina será cumprida através de discussões teóricas e práticas no ambiente de sala de ensaio. Serão adotados
procedimentos de criação que busquem potencializar ações compartilhadas e colaborativas.


SERVIÇO

Palco Gira Dança

Início: 16:00
Sábado 01/09- Oficina R$ 20,00

Domingo: Entrada Gratuita
Espaço Cultural Gira Dança : Rua Frei Miguelinho, 100 • Ribeira • Cep 59012-180 • Natal.RN
Fone: +55 84 3344.4109
e-mail: produção.giradanca@gmail.com / contato@giradanca.com.br / giracomunica@gmail.com
Site: www.giradanca.com.br
Blog: www.giradanca.blogspot.com

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Edu.O e Lucas Valentim(Salvador/BA)- apresenta “Odete, traga meus mortos”

foto: Gabriel Guerra

Assim como nos passaportes, nossos corpos retornam de uma viagem carimbados de experiências que se mantêm e determinam nossos olhares, sensações, percepções, a partir do acesso a territórios desconhecidos, principalmente aos territórios internos que nos ressignificam.
O espetáculo Odete traga meus mortos é inspirado numa situação vivida por Edu O., numa viagem a França, onde num almoço em casa de uma família tradicional, na hora do café, depois de todo ritual da refeição francesa, a matriarca pede a empregada: “Odete, traga meus mortos!”. Incrédulo, com expressão, Edu foi informado que este pedido tornou-se habitual daquela senhora que lê diariamente a parte de óbitos do jornal enquanto toma seu cafezinho. Sua preocupação é saber se algum conhecido faleceu e observar a forma como foi escrito o obituário, sempre discordando e dizendo que não quer o seu daquele jeito. Então começa a descrever como gostaria que divulgassem sua morte, a foto que deve ser colocada, a roupa e como as pessoas devem agir no seu funeral.
Um fato aparentemente triste torna-se o momento mais engraçado do dia da família que passa a lembrar de histórias da vida e de pessoas que passaram por ali. A morte perde a carga de sofrimento, cedendo espaço para lembranças de vidas cheias de experiências, como são todas e cada uma das vidas humanas. Para aquela senhora, o falecimento do outro possibilita a reflexão sobre sua própria existência, mesmo que este outro seja um desconhecido e que sua história não tenha relação direta com a dela.
A partir desse fato, foi idealizado o projeto, parceria entre os coreógrafos/dançarinos Edu O. e Lucas Valentim. O espetáculo foi construído em um processo colaborativo também na música, figurino, cenário e iluminação, refletindo sobre os ritos de passagem, o partir, a ausência e a presença. O lugar do outro em nossas vidas, nossos mortos (pessoas e situações passadas) marcando nossos corpos, sendo-nos. Tudo reverberando em nós até mesmo quando a memória não esta sendo atualizada. A morte em Odete, traga meus mortos representa, portanto, as ausências de pessoas, lugares, situações, objetos.
O espetáculo foi vencedor do Prêmio Festival Vivadança 2010. Ainda neste ano foi convidado a participar do 1º Encontro de Dança Inclusiva. O que é isso?, Curta Dança as 6 no Pelô, selecionado para a Plataforma Internacional de Dança. Em 2011 foi apresentado no Theatro XVIII, na programação do Repertório VAGAPARA e convidado a participar do projeto Palco Gira Dança em Natal.

-Ficha Técnica
Intérpretes/Criadores: Edu O. e Lucas Valentim
Direção musical: SomdoRoque
Iluminação: Márcio Nonato
Produção e Figurino: Nei Lima

OFICINA
Sábado (01/10/11)
“Encontros na mesa de chá
Bate papo e oficina de criação
Compartilhamento dos procedimentos criativos da obra: Odete traga meus mortos.”
Carga horária: 4h

Ministrantes: Edu O. e Lucas Valentim
Participantes: Artistas e demais interessados (turma de 20 pessoas)

Ementa
O compartilhamento será distribuído em dois momentos. No primeiro serão abordadas questões que permeiam a obra, como: relação entre texto e movimento numa composição de dança, construção de metáforas que poetizam o discurso na cena, entre outros. Essa abordagem objetiva identificar, a partir das questões apresentadas, interesses em comum com a turma, para que juntos determinem princípios de observação que nortearão a segunda etapa. Neste segundo momento serão experienciados alguns procedimentos adotados pelos ministrantes no decorrer de suas criações.

Método
A oficina será cumprida através de discussões teóricas e práticas no ambiente de sala de ensaio. Serão adotados procedimentos de criação que busquem potencializar ações compartilhadas e colaborativas.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Cobertura: 6ª Etapa do Circuito Cultural Ribeira



Cobertura da 6ª etapa do Circuito Cultural Ribeira, edição dedicada a Dança. Produção dosol Image e edição de ana Morena Tavares.

O Circuito Cultural Ribeira tem o patrocínio do Conexão Vivo.

Categoria:

Palavras-chave:

Licença:

Licença padrão do YouTube

terça-feira, 23 de agosto de 2011

O Espaço Gira Dança abre inscrições para aulas de PILATES.



O Espaço Gira Dança abre inscrições para aulas de PILATES.
Inscrições 50 R$ no Espaço Gira Dança das 14h às 18h.
Reservas e informações pelo fone 33444109.
giracomunica@gmail.com
Inicio das aulas 05 de Setembro.
Duas aulas por semana: Segunda e Quarta-Feira das 07 ás 08h da manha.
Professora: Arilma Girassol

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Art'facto Companhia de Dança estréia o espetáculo O Sertão Sou Eu


Foto: Anderson Leão
23 de agosto, data mais que especial para a Art'facto companhia de dança de Pendências/RN e a companhia Gira Dança, depois de meses de trabalho, com oficinas, aulas e ensaios, concluimos com a montagem do espetáculo. O grande dia da estréia se aproxima, uma equipe de cinco integrantes da companhia Gira Dança estarão acompanhando todo o processo de montagem, desde da iluminação, cenário e figurino, para a realização do nascimento do espetáculo O Sertão Sou Eu. Um sonho antigo do diretor artístico Dionlenes Dias, da cidade de Pendências/RN, onde tem lutado para fortalecer a dança contemporânea em sua cidade, além de concretizar a parceria entre as duas companhias desde 2009.

Muitas histórias, alegrias e tristezas marcaram todo esse processo, algumas ficaram pra sempre em nossas lembranças e outras aprenderemos com nossos próprios erros. Deixamos aqui a nossa homenagem a Rita Cássia, bailarina da Art'facto companhia de dança, exemplo de luta e perseverança, sem falar da sua alegria tão contagiante, que nos deixou uma grande saudade.

Rita Cássia

O espetáculo o Sertão Sou Eu, usa como referencia, ‘inspiração livre’, o conto de Guimarães Rosa que conta a estória de grandes batalhas no sertão, a luta de um povo simples, mas com grande riqueza de significados e sentimentos que chegam a confundir, inebriar aqueles que se aventuram em conhecer a estória.

O espetáculo traz ao palco em forma de dança, o jeito simples da vida no sertão e toda sua carga de sentimentos e emoções que eleva o sertão ao tamanho do mundo.



Sertão Sou Eu
Dia 23 de agosto às 20h - Quadra Poliesportivo Oto Bezerra (Estréia)
Pendências/RN

Dia 24 de agosto às 20h - Quadra da escola Walfredo Gurgel
Alto do Rodrigues/RN

Dia 15 de outubro às 20h - Casa da Ribeira
Natal/RN

Projeto Palco Gira Dança

Foto: Brunno Martins
Criado com a proposta de trazer para a cidade um diferencial na propagação da dança e seus meios,o Palco Gira Dança é um projeto patrocinado pelo Fundo de Incentivo a Cultura (FIC) da Prefeitura Municipal do Natal, onde tem como objetivo oferecer a comunidade local uma programação de dança com apresentações da Companhia e grupos convidados, oficinas e palestras que incentivarão a prática artística da dança e ainda visarão fortalecer as relações interpessoais entre os participantes, abordando dentro de uma metodologia desenvolvida em conjunto com essas atividades, temas como a Diversidade do Corpo na Dança.

O projeto Palco Gira Dança terá duração de três meses sendo executado mensalmente levando-se em conta toda logística empregada para sua realização, por consequência, dando continuidade ao Circuito Cultural Ribeira, trazendo à esse bairro histórico uma alternativa de programação que fomente a arte, dando ênfase a seu potencial na propagação cultural na cidade do Natal.

Veja a programação da estréia.



Sábado 03/09 | Abertura Oficial “Palco Gira Dança”

16h

Conexão Dança Natal – Encontro dos diretores de grupos e companhias de dança de Natal

16h

Exposição Fotográfica “ Olhares sobre a Dança” por Brunno Martins

Domingo 04/09 | Junto com o Circuito Ribeira

16h

Abertura Loja Mundo Gira

16h

Exposição Fotográfica “Olhares sobre a dança” por Brunno Martins

16h30 Vídeo Documentário Figuras da Dança com Ruth Rachou

17h

Companhia Gira Dança

17h30 Art’facto Cia de Dança (Pendências/RN)

18h

SÍ-LA-BAS Companhia de Dança

18:30 Projeto Cores " As Cores Avessas de Frida Kahlo"

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

CIA. GIRA DANÇA APRESENTA "A CURA" NO TAM


A Cia Gira Dança apresenta nesta Quinta-Feira 11 de Agosto às 20h no Teatro Alberto Maranhão "A CURA", o espetáculo foi sucesso de crítica e público por todos os lugares que passou, inclusive no 5° Festival BRASIL MOVE BERLIM de Dança Contemporânea realizado no mês de Abril na Alemanha e na semana passada foi muito elogiado por toda a crìtica do 3° Encontro de Dança Contemporânea do RN.
Será a ultima chance para quem já viu ver de novo e quem nunca viu aproveitar Já que vai ser a ultima apresentação do ano em Natal.

Ingressos:
Na hora 10 R$ inteira e 5 R$ meia.
Antecipados 5 R$ preço único no Espaço Gira Dança fone 33444109

A CURA - Vivemos em uma sociedade que cada vez mais vem se desprendendo
das relações interpessoais, onde gestos de afeto e carinho são substituídos pelo
medo. Vive-se um período preocupante de epidemias, desigualdades, violência
e preconceitos. E, onde encontrar a cura disto tudo?
O processo criativo do espetáculo “A Cura”, baseia-se no mundo
contemporâneo, sentenciados por um olhar homogêneo, norteado de
interesses impostos pela sociedade de consumo. Um tempo marcado por
competitividade e transformações. Mas afinal, em que estamos nos
transformando? O homem é feito ou desfeito por si mesmo, onde o seu pensamento constrói as armas com as quais
destrói a si próprio. Desta forma, tudo aquilo que ocorre na sociedade é reflexo das atitudes de cada um que a
compõe.
As insaciáveis buscas pela cura das problemáticas vivenciadas pelo homem estão sendo cada vez mais intensa,
quando na verdade, a solução está mais perto do que ele próprio imagina.

Ficha Técnica:
CRIAÇÃO COLETIVA
MÚSICA: Rosa de Pedra
ILUMINAÇÃO: Janielson Silva
DIREÇÃO: Anderson Leão
ASSISTENTE DE DIREÇÃO: Jaquelene Linhares
ELENCO: Álvaro Dantas, Danm Silva, David Costa, Diogo Ricardo, Jânia Santos, Joselma Soares, Marconi Araújo,
Rozeane Oliveira e Wellington Silva.

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Cia Gira Dança no 3° Encontro de Dança do RN


Foto: Brunno Martins

Programação do 3° Encontro de Dança do RN dia 03 de Agosto na Casa da Ribeira.

A CURA - Vivemos em uma sociedade que cada vez mais vem se desprendendo
das relações interpessoais, onde gestos de afeto e carinho são substituídos pelo
medo. Vive-se um período preocupante de epidemias, desigualdades, violência
e preconceitos. E, onde encontrar a cura disto tudo?
O processo criativo do espetáculo “A Cura”, baseia-se no mundo
contemporâneo, sentenciados por um olhar homogêneo, norteado de
interesses impostos pela sociedade de consumo. Um tempo marcado por
competitividade e transformações. Mas afinal, em que estamos nos
transformando? O homem é feito ou desfeito por si mesmo, onde o seu pensamento constrói as armas com as quais
destrói a si próprio. Desta forma, tudo aquilo que ocorre na sociedade é reflexo das atitudes de cada um que a
compõe.
As insaciáveis buscas pela cura das problemáticas vivenciadas pelo homem estão sendo cada vez mais intensa,
quando na verdade, a solução está mais perto do que ele próprio imagina.

Ficha Técnica:
CRIAÇÃO COLETIVA
MÚSICA: Rosa de Pedra
ILUMINAÇÃO: Janielson Silva
DIREÇÃO: Anderson Leão
ASSISTENTE DE DIREÇÃO: Jaquelene Linhares
ELENCO: Álvaro Dantas, Danm Silva, David Costa, Diogo Ricardo, Jânia Santos, Joselma Soares, Marconi Araújo,
Rozeane Oliveira e Wellington Silva.

Serviço:
III Encontro de Dança do RN
Gira Dança (Natal) – A Cura
Data: 03 de Agosto
Horário: 16h
Local: Casa da Ribeira
Ingressos: Distribuição gratuita na bilheteria do teatro a partir das 14h
www.encontrodedanca.com

Diana Morais (Portugal): TENDA NA MALA – LABORATÓRIO DE INOVAÇÃO PARA AS ARTES
PERFORMATIVAS, CÊNICAS E CIRCENSES - Um projeto inovador inovadora na sua área de
negócio que, apresenta-se simultaneamente como centro de formação e investigação de
diversas vertentes artísticas. Uma das principais fontes de criação e inovação da Tenda na Mala
é constante realização de intercâmbios com artistas de renome, grupos e mestres do
movimento artístico mundial, onde se esperam resultados que possibilitem o confronto e o
diálogo entre o teatro, a dança, a música e as artes circenses, realçando as distintas identidades
e contribuindo para o desenvolvimento das formações programadas.

Serviço:
III Encontro de Dança do RN
Apresentação da Tenda Na Mala - Diana Morais (Portugal)
Data: 03 de Agosto
Horário: 17h
Local: Casa da Ribeira
www.encontrodedanca.com

Fonte: 3° Encontro de Dança do RN

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Gira Dança apresenta TUBO DE ENSAIO #Acontecimento 1.


O processo intitulado Acontecimento 01 – “Tubo de Ensaio”.
É o resultado do projeto “Corpo experimento” da bailarina Jaquelene Linhares, contemplada com o Prêmio Interações Estética - Residência Artística em Ponto de Cultura 2010.
O sentido da palavra acontecimento 01 nesse projeto de pesquisa está direcionado com a construção de um “mapa cênico” (descobrindo a cena e suas nuances), que conceberá, como outros que virão, o próximo espetáculo da companhia Gira Dança.

Local: Casa da Ribeira
Data: 23 de Agosto
Horário: 20h
Ingressos: 10 e 5 reais.
Obs: Antecipado preço único 5 reais
no Espaço Gira Dança.
Informações: No local ou 33444109

Espaço Gira Dança abre inscrições para Oficinas de Dança


Ai galera! o que todos procurava agora vai rolar, garanta sua vaga.

Espaço Gira Dança abre inscrições para Oficinas de Dança

Iniciação a Dança Contemporânea
Início das aulas: 09 de Agosto
Terças e Quintas de 9h às 11h
Valor: 20 reais
Duração: Tempo indeterminado

Dança Afro
Início das aulas: 10 de Agosto
Quartas e Sextas de 9h às 11h
Valor: 20 reais
Duração: Tempo indeterminado

Informações: 84 3344.4109
ou pelo e-mail: producao.giradanca@gmail.com

Documentário "A Cura" selecionado para o 2° Festival de Cinema Curtamazônia/2011

Foto: Rodrigo sena

O documentário A Cura dirigido por Rodrigo Sena foi selecionado pelo Festival de Cinema Curta Amazônia 2011.
O documentário retrata a prudução do espetáculo A Cura da companhia Gira Dança e os aspectos psicológicos que os integrantes
submeteram na criação do trabalho ao enfrentar o tema abordado.

Festival divulga seus filmes selecionados
A divulgação do resultado da seleção dos filmes aconteceu durante o lançamento do 2º Festival de Cinema Curtamazônia na noite do dia 13 de julho no Mercado Cultural em Porto Velho, filmes que concorrem na mostra competitiva ao Troféu Curtamazônia, confeccionado por Pedro Furtado, houve também o lançamento de dois documentários rondonienses, “Nos palcos da vida - Raízes do Porto/18 anos”, de Geovani Berno e “A Tormenta”, com o artista regional Botôto, direção Carlos Levy.
Os filmes selecionados, com a participação de 252 inscritos de 19 estados brasileiros que irão abrilhantar nossa Rondônia (mostras em Porto Velho, Candeias do Jamari e Cacoal) exibindo a nossa imensa diversidade cultural, num país crescente na produção cinematográfica, são os seguintes curtas-metragens: - “ILHA DE JACÓ”, direção Marcelo Bichara, doc, 13 min, 2010, RJ; - “O FALSÁRIO DE HITLER”, direção Vicente Moreno, doc, 15 min, 2010, RS; - “O VELHO DO RIO”, direção Leonardo Alves de Oliveira, doc, 20 min, 2010, PB; - “A CURA”, direção Rodrigo Sena, doc, 20 min, 2010, RN; - “TRAZ OUTRO AMIGO TAMBÉM”, direção Frederico Cabral, animação, 15 min, RS; - “CÉU, INFERNO E OUTRAS PARTES DO CORPO”, direção Rodrigo John, animação, 7 min, 2011, RS; - “TEMPESTADE”, direção Cesar Cabral, animação, 10 min, 2010, SP; - “O LADO NEGRO DA LUA”, direção Yargo Gurjão, 6 min, 2010, CE; - “RIBEIRINHO DO ASFALTO”, direção Jorane Castro, ficção, 25 min, 2011, PA; - “MUITA CALMA NESSA HORA”, direção Frederico Ruas, ficção, 8 min, 2010, RS. - “UM ANIMAL MENOR”, direção Pedro Harres e Marcos Contreras, ficção, 20 min, 2010, RS; - “DEPOIS DO ALMOÇO”, direção Rodrigo Diaz, ficção, 13 min, 2010, SP; - “PINBALL”, direção Ruy Veridiano, ficção 18 min, 2010, SP; - “MAPA MUNDI”, direção Aristeu Araújo, ficção, 15 min, 2009, RS; - “EU NÃO QUERO VOLTAR SOZINHO”, direção Daniel Ribeiro, ficção, 17 min, 2010, SP. Demais categorias: (In) Finito particular”, direção Nei Francisco, móvel celular, 3 min, 2011,RJ; “Novos velhos”, direção Rafael Jardim, câmera fotográfica digital, 2 min, 2010,BA; “Aves do Brasil Central”, direção Havita Rigamonti, ambiental, 20 min, 2009, PR. As categorias webjornalismo, reportagem nacional não houveram inscritos, e na categoria reportagem regional foi selecionado “Livraria Quarup”, direção Zaine Chaves, 10 min, 2010, MG.
Nesse ano de 2011, a Prefeitura de Porto Velho apresenta o 2º Festival de Cinema Curtamazônia com patrocínio cultural da Fundação Iaripuna e Semed, no apoio cultural da Superintendência Estadual de Turismo/Setur, Emater/RO, Semdestur, apoio institucional ABD/RO, ABD Nacional, Fórum dos Festivais, Coordenadoria de Políticas Públicas para Mulheres, Instituto Maporé, Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, Secel e apoio na divulgação da Imprensa Rondoniense e sites nacionais, com organização da Associação Curta Amazônia.

Fonte: Assessoria

terça-feira, 21 de junho de 2011

Gira Dança mobiliza o calçadão de Londrina em intervenção urbana que aproxima artistas e público...


Dentro da cabine de telefone vermelha, em estilo britânico, localizada em frente ao Teatro Ouro Verde, quatro pessoas apertam-se, debatem-se, sobem umas sobre as outras, gritam. A porta se abre, e o rapaz de cadeira de rodas que estava do lado de fora salta num golpe de braços, entra no cubículo apertado e engrossa a massa humana. Fecha-se a porta. Um homem com máscara de oxigênio saltita em torno da cabine apoiando-se em pequenas muletas.


A essa altura, o círculo já é imenso: uma clareira circundada pelos pares de olhos curiosos dos transeuntes interrompidos. Um ou outro que esquece de olhar em volta, passa bem próximo e assusta-se. “É um grupo de teatro?”, pergunta a moça. Mas ninguém tem a resposta. A senhora ao lado sussurra em bom tom um “meu Deus, que susto!”, quando vê o artista de máscara. Já outra menos pávida e mais crente, conclui: “Estas pessoas estão possuídas por demônios”. E segue seu caminho com a benção divina, não sem antes dar uma olhadela para trás.

Exorcizar a sociedade de seus preconceitos. É justamente a intenção da Companhia Gira Dança, de Natal (RN), em intervenções urbanas como esta. Formada por pessoas portadoras e não portadoras de deficiência física, a trupe reúne artistas que, ao demonstrarem suas potencialidades, alertam a sociedade sobre a relatividade das diferenças e a necessidade de olhar para o outro com igualdade e respeito.

“O preconceito acontece por falta de informação. Algumas pessoas pensam nos deficientes como doentes, incapazes. Quando você aproxima o público, consegue ter um olhar diferente, com mais sensibilidade”, reflete Anderson Leão, diretor artístico e fundador da Gira Dança.

Para que a performance seja bem sucedida é preciso que os passantes não estejam preparados, mas surpreendam-se com os atos cênicos que irrompem no vai-vem quase banal das ruas. “A obra artística vai até o espectador, e não o contrário. É a ocupação de um espaço público, para provar que a dança acontece em qualquer lugar, como um jogo”, explica a assistente de direção Jaquelene Linhares, que acompanha o grupo desde 2009.

Jaquelene também participa da intervenção. Esconde-se atrás de uma criança, pede um abraço, e baila por entre fileiras de passantes. Há interrogação nos olhares e indignação quando um rapaz é jogado com agressividade da cadeira de rodas. Mas ele reage com irreverência, afrouxa os parafusos e começa a brincar, no chão, com os pneus. A todo o momento, cria-se e destrói-se a tensão.

A intervenção é formada por fragmentos do espetáculo “A Cura”, que o grupo apresentou nos dias 16 e 17, no Circo Funcart, acrescidos de uma série de improvisos. Segundo Anderson, os treinamentos em sala de aula auxiliam na naturalidade e rapidez desses jogos de rua no momento da performance.

A Cia Gira Dança nasceu em 2005 por iniciativa dos bailarinos Anderson Leão e Roberto Morais. O trabalho cresceu e o grupo tornou-se uma ONG e um Ponto de Cultura. Com pesquisa já consolidada na criação artística com portadores de deficiência, a Cia. Gira Dança já se apresentou em vários palcos e ruas do Brasil. Em abril deste ano, a trupe mostrou também o trabalho em Berlim, na Alemanha.

Fonte: Renato Forin Jr/Acessoria de Imprensa FILO
Foto: Acessoria de Imprensa FILO

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Acontecimento 01 – “Tubo de Ensaio”.

Cartaz do evento

O processo intitulado Acontecimento 01 – “Tubo de Ensaio”.
É o resultado do projeto “Corpo experimento” da bailarina Jaquelene Linhares, contemplada com o Prêmio Interações Estética - Residência Artística em Ponto de Cultura 2010.
O sentido da palavra acontecimento 01 nesse projeto de pesquisa está direcionado com a construção de um “mapa cênico” (descobrindo a cena e suas nuances), que conceberá, como outros que virão, o próximo espetáculo da companhia Gira Dança.
Sexta-Feira 10/06 no Espaço Gira Dança com duas sessões às 19h e 20h.
Ingressos limitados à dois Reais.
Vendas no local.
Saiba mais: http://corpoexperimento.blogspot.com/

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Girando em Berlim

Chegada do público ao teatro para o espetáculo "A Cura"

Espetáculo "A Cura" teatro Hau 1

Espetáculo "Corpo Estranho" teatro Hau 1

Bate-papo com o Público após espetáculo "A Cura"

Tur pela cidade de Berlin
Intervenção Urbana no shoping Alexia platz

A companhia Gira Dança acaba de chegar da Europa onde fez sua estréia internacional participando do 5° Festival BRASIL MOVE BERLIM de Dança Contemporânea, que aconteceu no ultimo mês de Abril na Alemanha, com a participação de dois espetáculos "A Cura" e "Corpo Estranho", além de uma Intervenção Urbana no shopping Alexia de Berlim. O festival contou ainda com a participação de companhias e bailarinos de várias regiões do Brasil, entre elas a Laso Cia. de Dança e André Masseno do Rio de Janeiro, Cia Angelo Madureira e Ana Catarina Vieira de Recife / São Paulo, Marcelo Evelin / Demolition Inc. + Núcleo Do Dirceu de Teresina, Charlene Sadd de Maceió, de Rio de Janeiro, Paula Carneiro Dias de Salvador e a palestra Ensino e produção da dança em natal: o exemplo da EDTAM com Wanie Rose de Medeiros .
A Dança levou o Rio Grande do Norte para Alemanha, e mais uma vez, a dança potiguar vem abrindo seus caminhos internacionais; não foi diferente para a companhia Gira Dança que levou a sua linguagem de criação coletiva e a proposta de ter em seu elenco a diversidade de corpos que unidos fazem a dança. Estávamos na Alemanha e sabíamos da nossa importância naquela cidade, naquele festival e no que iríamos apresentar, nosso foco era deixar nossa dança envolver a cada um que nos assistia. O espetáculo A Cura que mexe com o cotidiano, a cultura e a reflexão das pessoas, ao final de cada sessão, os bailarinos ficavam surpresos com a maneira que o público vinham-lhe agradecer, com um calor emocionado e difícil de descrever, uma reação que ficará marcada para cada um de nós.
No penúltimo dia do festival houve "A Grande Noite das Óperas e Teatros" onde em todos os teatros da cidade aconteceram eventos simultâneos que começaram a partir das 19h e foram até 00h com espetáculos de dança, teatro, música e etc. Gira Dança participou da Grande Noite apresentando o espetáculo Corpo Estranho no teatro HAU 1 dividindo o palco com a Laso Cia. de Dança do Rio de Janeiro, cada cia se apresentou três vezes em forma de revezamento e cada sessão com públicos diferentes. Uma experiência totalmente nova para os bailarinos que nunca tinham dançado nesse sistema de revezamento numa mesma noite.
Todas essas experiências tiveram uma importância fundamental, para quem faz a companhia Gira Dança e para quem faz a dança no Rio Grande do Norte, e é mais uma prova de que estamos no caminho certo, porque sabemos que não é fácil sair do Brasil e levar a nossa dança para outros países, conhecer outras culturas e se alimentar de intercâmbios fortalecendo mais e mais a arte de danças em nossa cidade.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

O que é o Projeto Corpo Experimento


O projeto Corpo Experimento proposto pela bailarina Jaquelene Linhares propõe a companhia Gira Dança o estudo de princípios de movimentos do corpo do bailarino com e sem deficiência. O sentido da palavra experimento nesse projeto de pesquisa está direcionado a vivência metodológica de processos de criação em dança, na busca de compor um material expressivo e consciente, relacionado a particularidade do corpo na individualidade e coletividade de sua existência na atividade artística da dança.
O processo metodológico da investigação delineia-se pela observação, planejamento coletivo, reflexão e redirecionamento das ações, configurado pelo diálogo permanente com os sujeitos envolvidos na pesquisa.
O diálogo no cotidiano dançante promove um dançar imbuído, com estruturas que colocam em questões: condições, elementos, formas, experiências e situações do dançar. Uma relação dialógica na qual gesto e palavra promove a ação e reflexão, em um contínuo de possibilidades que vão formulando a práxis artística. “Os homens são seres do que fazer é exatamente porque seu fazer é ação e reflexão. É práxis” (FREIRE, 2005, p.141).
A demanda corporal que constitui a investigação, corpos com e sem deficiências, suscita questões referentes a: como esses corpos se mexem, quais são as suas reais limitações, de que maneira acontece o diálogo no momento da criação da dança entre esses corpos? A dança proposta é possível de diálogo? A percepção e análise dessa realidade será o fio condutor da construção do campo semântico para a criação da dança.
Acreditamos que a construção desse campo de sentido viabilizará aos sujeitos da pesquisa conceber que a dança se articula com o desenvolvimento cognitivo, ou seja, quem dança é o corpo, e o corpo em movimento produz conhecimento a partir de processos investigativos mediadores da percepção de como acontece o movimento corporal proposto pelo ato de dançar.
Nessa perspectiva, a concepção de dança abordada nesse estudo reflete sobre essa expressão, não mais como constituições lineares de passos coreográficos ou discussões de códigos específicos, mas sim, como um lócus possível de análise e problematização, no qual os sujeitos envolvidos no processo de criação possam contribuir de maneira ativa e consciente na produção coreográfica.
Sendo assim, é por meio desse ambiente investigativo que estamos construindo e compondo o “Corpo Experimento”, um diálogo entre as singularidades e as pluralidades dos corpos imbuídos na pesquisa.

Fonte: Jaquelene Linhares
Blogger: http://corpoexperimento.blogspot.com/

terça-feira, 10 de maio de 2011

COMO FOI? 3ª ETAPA DO CIRCUITO CULTURAL RIBEIRA E A PARTICIPAÇÃO DO GIRA



FOTOS: PEFORMACE DA CIA. GIRA DANÇA NO BECO DA QUARENTENA

Cobrir edições do Circuito Cultural Ribeira tem virado missão impossível para uma pessoa só. São tantos espaços com programação que dá uma certa agonia de estar vendo uma coisa sabendo que tem outra ao mesmo tempo que você também queria conferir. Problema bom que só os grandes eventos proporcionam. E foi exatamente nisso que o Circuito Cultural Ribeira se transformou: numa grande celebração da cultura potiguar.

Logo cedo deu para acompanhar a “batalha campal” da produção do circuito para deixar o Beco da Quarentena limpo. Segundo relatos, de sexta até domingo – o dia da atividade – o espaço foi limpo (e logo em seguida aparecia sujo) mais de cinco vezes. A iluminação pública colocada para o circuito também foi roubada. Depois de uma persistência épica em prol do processo educativo que envolve uma ação com essa, a Lavagem do Beco da Quarentena aconteceu de maneira apoteótica e arrepiante com vários grupos percussivos liderados pelas meninas do Rosa de Pedra, simpatizantes do bairro e pelo grupo Gira Dança, batendo os tambores e entoando cânticos para espantar as más vibrações que pudessem existir no lugar. Foi uma das coisas mais bonitas que já presenciamos na Ribeira.

Quando essa parte “de rua” acabou, a programação das casas já estava fervendo e foi muito difícil escolher o que assistir por dois motivos: o primeiro é que escolher programação não foi fácil e o segundo era a total lotação de praticamente todos os espaços. Não temos números oficiais mas achamos que mais de 10.000 pessoas circularam pelo bairro sem medo de errar.

Na Casa da Ribeira deu para ver a excelente estréia de Quitéria Kelly no espetáculo infantil Castelo de Lençóis e de relance vi a atividade do Espaço a Deriva com a encenação Procura-se. Uma ótima atividade de teatro oferecida para a comunidade.

O Jazz e o samba de raiz ficaram em destaque na programação da Rua das Virgens com bons momentos vindos do Consulado Bar e Buraco da Catita. Demos uma escapada para ver rapidamente a programação de reggae no Cultura Clube, que não fazia parte oficialmente da programação mas que somou bastante. Estava absolutamente lotada a casa.

A parte de música com maior fluxo de pessoas aconteceu mesmo na Rua Chile, principalmente pelo acúmulo de espaços que existem na região. Centro Cultural Dosol, Armazém Hall, Central Ribeira e Galpão 29 fizeram a alegria das milhares de pessoas presentes no domingo bonito da Ribeira.

O Centro Cultural Dosol esteve abarrotada o tempo inteiro com o excelente programa de shows proposto. Destaque para o tríade SeuZé, Camarones Orquestra Guitarrística e Talma&Gadelha que fizeram o público dançar e cantar do começo ao fim.

O Rosa de Pedra encerrou de maneira apoteótica a Lavagem do Beco da Quarentena com um show lindo, tendo no final a participação do grupo de percussão levando o público para fora do Armazém Hall. O Central Ribeira ficou com toda as mesas ocupadas para conferir a Orquestra Boca Seca com participação de Diogo Guanabara. No Galpão 29 os DJs deixaram o espaço lotado com destaque para o show do Emblemas Funk.

O fato é que o Circuito Cultural Ribeira só teve três edições e já se transformou numa das principais ações de cultura da cidade. Não sabemos onde vai parar, mas esperamos que não pare nunca. Até a próxima edição.

texto: http://circuitoculturalribeira.com.br/
fotos: http://www.flickr.com/photos/dosol/

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Gira dança e Art`facto Cia de Dança montam Espetáculo de Dança Contemporânea

Bailarinos do Art`Facto em processo de montagem

Anderson Leão em montagem do espetáculo

Bailarino Danm silva do Gira dando aula no Art`Facto

O Sertão Sou Eu”. Esse é o nome do espetáculo do grupo Art'facto, do município de Pendências, cuja montagem está sendo assessorada pelos bailarinos e o diretor artístico Anderson Leão da companhia natalense Gira Dança. Baseada na obra “Grande Sertão: Veredas”, de João Guimarães Rosa, a produção tem patrocínio do Programa BNB de Cultura – Parceria BNDES.

Desde o início de março, são realizados encontros visando à capacitação dos integrantes do Art´facto. Existente desde 2008, o grupo conta com pessoas com e sem deficiência no seu corpo de baile. O diretor artístico, Dionlenes Pereira Dias, explica que o coletivo nasceu com a proposta de oportunizar aos jovens o desenvolvimento de habilidades na convivência social e artística, bem como sensibilizar e despertar a população para o fato da deficiência física não ser impedimento para a arte.

Para ele, além da criação do espetáculo, a parceria com a Gira Dança oferecerá suporte administrativo, técnico e coreográfico, ampliando as perspectivas para realização de projetos futuros em benefícios dos jovens da região.

O diretor da Companhia Gira Dança, Anderson Leão, destaca que, durante os encontros, são promovidos diálogos que incentivam a prática da pesquisa, valorizando a raiz e os experimentos coreográficos do cotidiano nordestino. “Estamos trabalhando para que eles entendam e utilizem processos de um trabalho conceitual de qualidade na linguagem da dança contemporânea”, diz.

Anderson Leão avalia os benefícios da ação: “A experiência tem sido gratificante para todos. Encontramos em Pendências uma realidade semelhante a que vivíamos quando iniciamos o Gira Dança, as mesmas dificuldades e medos. Nesse primeiro momento, a dança contemporânea tem causado certo estranhamento na cidade, mas a comunidade está envolvida e apostamos nos resultados”.

Além da criação coreográfica, os grupos também são responsáveis pela produção de figurinos e materiais cênicos. A previsão de estreia é no mês de julho, com temporadas em Pendências e Alto do Rodrigues.

Pioneirismo - Gira Dança é uma companhia natalense de dança contemporânea formada por pessoas com e sem deficiência física que tem como proposta artística ampliar o universo da dança por meio de uma linguagem própria, voltada para o conceito do corpo como ferramenta de experiências.

Entrevistas e informações adicionais:

Dionlenes Pereira Dias - Art'facto
(84) 3522-2891, 9902-3142 e dionlenes@hotmail.com

Anderson Leão - Gira Dança
(84) 9132.4900 e andersongira@gmail.com

Fonte:
Luana Batista da Silva

Assistente de Comunicação, Propaganda e Cultura
Contratada da Empresa Fortal Empreendimentos Ltda
Superintendência Estadual do Banco do Nordeste no RN
Tel.: 84 3133-3227 Fax.: 84 3133-3203

quinta-feira, 28 de abril de 2011

3° etapa do circuito cultural ribeira


Domingo 1° de Maio, Dia do Trabalhador tem Circuito Cultural Ribeira. Em todos os principais pontos culturais do bairro histórico, vão estar acontecendo eventos totalmente gratuitos para todos os gostos, todas as tribos e todas as artes. O Espaço Gira Dança mais uma vez estará presente com uma programação dedicada a dança, confira.

RUA FREI MIGUELINHO
16h – Abertura da Loja Mundo Gira
16h20 – Vídeo Documentário: Figuras da Dança | Hulda Bittencourt
16h30 – Gira Dança – Coreografia: Iguais, Razão e Conseqüência
17h – Intervenção Urbana com a Companhia Gira Dança
17h20 Vídeo Documentário: A Cura
17h40 – Vídeo Documentário: Figuras da Dança | Luis Arrieta
18h – Gira Dança – Coreografias: Iguais, Razão e Conseqüência
18h20 Vídeo Documentário: A Cura
18h40 – Jogo de Improviso (Dança e música ao vivo):

Veja toda programação no site http://circuitoculturalribeira.com.br/

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Projeto Gira na Escola

Bate-papo com os alunos da Casa Escola

Apresentação para os alunos do colégio Conteporâneo

Alunos da Casa Escola assistem video sobre a Cia

O Espaço Gira Dança abriu as portas nesta segunda e terça-feira para receber os alunos dos colégios Casa Escola e Contemparâneo. Esses encontros fazem parte do projeto Gira na Escola, onde os alunos assistiram a um video sobre a Companhia e em seguida viram a apresentação de um trecho espetáculo "Pequenas Lembranças" logo depois aconteceu um bate-papo que discutiu a integração dos bailarinos com e sem deficiência dentro da dança contemporânea.

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Espaço Gira Dança no Circuito Ribeira

foto Corpo Estranho


O Espaço Gira Dança está incluido na 2° etapa do Circuito Cultural Ribeira que acontece domingo, 03 de abril. Nesta edição, a Cia Gira Dança irá apresentar fragmentos do espetáculo Corpo Estranho, que foi selecionado para o 5° Festival Brasil Move Berlim de Dança Contemporânea, a partir das 17h. Além disso, haverá a apresentação da Procura-se Cia de Dança com trechos do espetáculo Sobre o Que Restou e a peformance "Fulan?" da bailarina Jaquelene Linhares.

A lojinha com todos os produtos gira estará aberta partir das 16h. A entrada é gratuita e os ingressos serão retirado no local ás 16h. Senhas limitadas.

Veja toda programação do Circuito. http://circuitoculturalribeira.com.br/programcao-completa-da-2%C2%AA-etapa-do-circuito-cultural-ribeira/